terça-feira, 29 de novembro de 2016

Resenha: A improvável Annelise.



Annelise Toder, é brasileira, nasceu e cresceu na beira do Parque Nacional da Serra Geral entre o estado de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Não era filha única, tinha uma irmã gêmea chamada Elissa, que por incrível que pareça, era completamente diferente dela. 

Depois de terminar o ensino médio, inesperadamente, os pais de Annelise lhe fizeram a proposta de fazer intercâmbio na Áustria. Ela achou o convite rápido demais e estranho, mas não pode recusar.

Depois de quatro semanas divertidas na Áustria, Annelise recebe uma ligação da irmã que lhe deixa sem chão : Seus pais sofreram um acidente e morreram. Mas ela não poderia retornar ao Brasil, pois era perigoso. E que ela não precisava se preocupar, Hans ia cuidar dela! Mas quem era Hans?

Annelise não pensa duas vezes em correr para o Aeroporto e voltar para o Brasil. Porem, ela percebe algo estranho no aeroporto, não conseguia embarcar de jeito nenhum. Até descobrir o motivo: Hans. O homem alto e forte que sua irmã disse que ia cuidar dela. Ele se apresentou no aeroporto como amigo de seus pais de muitos anos e que iria cuidar dela junto com Oliver, seu filho. Ela se sentiu insegura por ter que ser cuidada por um estranho em um momento tão difícil. Mas não tinha opção, Hans não iria deixa-lá embarcar. E tudo fica mais estranho quando ela conhece Oliver. Ela o conhecia, o garoto que estuda com com ela no intercâmbio e nunca tinha falado com ela, agora tina que cuidar dela! Poderia ficar mais estranho?

Hans e Oliver, levam Annelise para a casa deles, onde poderia ficar segura. Lá, ela conhece Greta, mulher de Hans e mãe de Oliver. Mas tudo estava tão estranho que ela não conseguia raciocinar direito. Hans, percebendo como a garota estava, resolveu que era hora de lhe dizer a verdade que seus pais tanto esconderam: Que ela era uma Anterana.
"Os anteranos vivem na Terra há muitos anos e nunca se revelaram, possuem diversos poderes e para não se dispersarem, se organizam em uma sociedade paralela à nossa. A escolha do novo rei ou rainha acontece por meio de uma pedra que se acende somente para quem tem "esse dom" dentro de si, mas desde que chegaram aqui a pedra nunca se acendeu. A família real seguia com o comando mas uma outra família se ergueu para começar uma disputa pelo poder, eles querem fazer o teste e revolucionar não apenas os anteranos, mas toda a Terra."
Hans, havia lhe contado que os pais dela também eram Anteranos. E que qualquer um poderia acender a pedra. Mas sempre tem mais chances os irmãos que são gêmeos. Annelise, logo pensou em Elissa. E ainda pior, descobre que outras duas famílias Anteranas poderosas estão querendo o poder da Pedra. Por isso iriam tentar descartar qualquer um que pudesse faze-lá brilhar que não fosse da família deles. Agora, ela pensava nos pais.

Ela percebeu então, que os pais poderiam estar vivos! Poderiam estar presos com alguma dessas famílias Anteranas perigosas por medo dela e da irmã ter o "dom" da pedra e receber mais poder e respeito que eles.


Agora, ela vai lutar para descobrir seus poderes Anteranos. Com Oliver, que ela descobre ser seu guardião, sua irmã gêmea e alguns bons amigos. Ela vai tentar descobrir se ela ou a irmã podem acender a pedra e poder trazer seus pais de volta.


domingo, 27 de novembro de 2016

Resenha: Os Assassinos do Cartão-Postal.




Jacob Kanon é detetive da polícia de Nova York, e teve brutalmente sua única filha (Kimmy) morta - junto com seu esposo - por assassinos que gostam de esfaquear a garganta das vitimas, que no geral, são casais em lua de mel. Mesmo no luto, eles descobre que os assassinos estão matando por toda a Europa, sua filha foi apenas mais uma vitima. Então, ele decide perseguir os assassinos. Juntando pistas, modos de agir, tudo que possa ajudar a pegá-los. A dupla é muito esperta, cometem os crimes sem deixar rastros. Mas Jacob busca vingança, e não vai desistir.

Ele se deitou na cama de baixo com a foto de Kimmy no colo. Jacob tinha identificado o cadáver da filha em um necrotério na periferia de Roma, no Ano-novo. Foi o primeiro dia do pior ano de sua vida. Este ano.

As últimas vitimas foram em ESTOCOLMO, capital da Suécia. E é pra lá que Jacob vai! Os assassinos tem o costume de enviar cartões postais para jornalistas da cidade, com dicas vazias dos crimes. São sempre pista para a policia, como um jogo para os assassinos. A última jornalista a receber o cartão foi Desse Larson, uma jornalista do jornal de Estocolmo. Junto com fotos do casal assassinado. Então Dessie e Jacob se juntam com a polícia sueca pra tentar descobrir quem são os assassinos do cartão-postal.


Resenha:

Cada capítulo do livro dura no máximo 3 folhas, então foi o livro com mais capítulos que eu já li na vida. E achei ótimo, capítulos curtos são menos cansativos e rápidos.
A história parece óbvia, mas não é. Você já sabe no começo do livro quem são os assassinos, então não tem mistério. O que mexe com a gente nessa leitura é o suspense, romance envolvido e, é claro, o quebra-cabeça que a trama tem até a policia chegar aos assassinos.
James Patterson, consegue bagunçar a sua cabeça, enquanto você acha que já desvendou o mistério, tem mais coisas a serem resolvidas.
O final foi um pouco corrido, na minha opinião. Eu queria saber mais sobre os assassinos, os motivos deles e objetivos com tudo isso. O que faltou explicar no livro. Mas fora isso, não tenho reclamações.
O livro é SENSACIONAL! Eu amei a escrita do autor. Não tem rodeios, vai direto no assunto então a leitura não fica cansativa em nenhum momento.
Recomendo muito o livro para quem curte o gênero Policial. Muito bom!

Informações:
Autor: JAMES PATTERSON

Editora: ARQUEIRO

Ano: 2014

Nº págs: 304

Gênero: Policial

Divulgação do livro: Desencontros e Desencantos.


Resenha:  "A Inglaterra, do início do século XIX, é palco de um romance repleto de paixão, dor, encontros, encantos, desencontros e desencantos. O romance é composto por pessoas e com elas, tudo o que há de pior e de melhor no ser humano.  São sentimentos explorados em uma cadência lenta nas fases mais difíceis da vida de uma mulher. Suzanne é uma doce e ingênua moça de dezessete anos, cercada e castigada pela maldosa Veronika, de quem era dama de companhia. A vida tem seu próprio jeito de ensinar aos ingênuos e proporciona um longo e árduo caminho a menina em meio a uma sociedade onde respeito e posição não raramente eram construídos com crueldade, inveja, mentiras, intrigas e vingança."
Quem ai não ama romances de época? E ainda mais, Nacional? A Nathália vem com Desencontros e Desencantos só para mostrar como a literatura nacional vem crescendo com os nossos gêneros preferidos. E por sinal, ela é uma autora muito simpática que tive o prazer de ter uma boa conversa sobre nossa autora do coração "Julia Quinn". Então tenho o prazer de apresentar um pouquinho mais da autora pra vocês:


Nathália Batista, escreve desde a adolescência, mas pela primeira vez resolveu publicar uma de suas histórias. É bacharel e profissional do sistema de Segurança Pública há mais de uma década, mãe, bailarina, graduanda de psicologia, etc. Quando perguntada sobre o que ela escreve, ela responde: Romances. E quando se pergunta: o que têm em seus romances, sua resposta é: Mulheres fortes, “Só consigo escrever sobre mulheres que aprendem a lidar com a difícil tarefa de viver”.



Com uma autora tão linda e com um livro maravilhoso desse, já da vontade de comprar né? Então os modos de comprar e contato vão estar aqui em baixo para quem quiser viajar por essa aventura.

       LIVRARIA CULTURA LIVRARIA TRAVESSA  | INSTAGRAM DA AUTORA


Resenha: O Primeiro Último Beijo

O Primeiro Último Beijo, conta a história de Ryan e Molly, que se apaixonaram na adolescência e tentam conquistar o desejado final feliz desde então. Mas estão prestes a descobrir como o amor pode ser complicado.
Ryan, é um cara de família, adora ficar perto de seus pais, morar em cidade pequena, conhecer todo mundo em cada canto da cidade e ter uma vida simples. Já Molly, tem muitos sonhos, como morar em uma cidade agitada, sair fotografando o mundo, festas, independência, nada simples. Nada como Ryan.
Mas eles se amam, E este será um livro sobre a luta para manter o amor de sua vida, mesmo quando o futuro é incerto e os obstáculos estão por todo caminho.
"Você pode me fazer um favor? Quebre uma regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um pouco. Ame muito,, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso mais."
RESENHA:


Demorei para achar uma explicação sobre esse livro. Ele é daqueles que você acaba e fica pensando durando horas sobre a história.
No começo foi bem difícil acompanhar a leitura, confesso. Ele pula de datas o tempo todo, 2001, 2006, 1996, 2007, 1994, entre os quase 15 anos que Ryan e Molly se conhecem. Mas ver as memórias passadas faz a gente conhecer os personagens profundamente e a gente acaba se apegando a todo mundo, como: Os país e irmão do Ryan, os amigos da Molly... Cheguei a conclusão que gostei até dos agradecimentos do livro.
A escrita da Ali Harris é envolvente e apaixonante. Não tem uma alma que não vá se emocionar com a história desse livro. Bem escrito e apaixonante em todas as páginas. No final eu chorei, sim. MUITO! O mundo é injusto até nos livros, meu Deus. E mesmo agora depois de quase uma semana que li ele, não consegui superar.
Amei cada minuto lendo esse livro! E por isso, recomendo para todos essa leitura, até para os que não gostam de romance. Talvez você descubra um novo gênero literário preferido.

Informações:
Autora: Eli Harris.
Ano: 2016
Páginas: 448
Editora: Verus Editora.